As novas soluções para melhorar o gerenciamento logístico das indústrias

Tudo na indústria deve e precisa ser otimizado: não se produz em excesso, planeja-se o que será fabricado e, consequentemente, sua destinação ao cliente final. Portanto, gerenciar de modo eficiente e integrado a cadeia logística, da produção à distribuição, permite disponibilizar o produto certo, na quantidade e lugar certos, dentro do prazo e com o mínimo custo, sem desperdício. A gestão logística deve ser percebida como um processo integrado capaz de apoiar a tomada de decisões.

Sua indústria mais integrada

Planejamento eficiente e gerenciamento eficaz de todos os processos na indústria, da produção à distribuição, ajudam a incrementar a produtividade, a evitar desperdícios e a reduzir custos em toda a cadeia logística, disponibilizando o produto certo, no local programado e no prazo, dentro do planejado com o cliente final.

Considerada uma atividade estratégica nos negócios, a logística vem recebendo atenção especial, principalmente porque os custos logísticos no Brasil consomem 11,73% da receita das empresas, segundo uma pesquisa realizada pela Fundação Dom Cabral. O tema ganha, inclusive, uma seção nesta edição, que reúne, a partir da página 10, novas soluções tecnológicas para incrementar suas atividades de armazenagem, movimentação e transporte de materiais. Algumas dessas novidades são de empresas da CeMAT Hannover 2016; uma oportunidade para você conhecer novas tecnologias.

Por que é importante investir?

A indústria é o setor mais importante para o crescimento da economia, e ter uma indústria forte deve ser prioridade para o Brasil. Essa é a opinião dos brasileiros revelada na pesquisa “Retratos da Sociedade Brasileira – A indústria brasileira na visão da população”, realizada pela Confederação Nacional da Indústria – CNI em parceria com o Ibope. De sua importância para o fortalecimento desta nação, não há dúvidas. Mas reconhecemos que são necessários mais incentivos e investimentos, e também coragem e visão estratégica das empresas na busca por inovação. Há uma corrida tecnológica acontecendo e as exigências de modernização serão cada vez maiores e mais frequentes.

Necessidade de reduzir custos e aumentar a produtividade incentiva desenvolvimento de tecnologias

O último Estudo dos Custos Logísticos no Brasil, realizado pela Fundação Dom Cabral, mostrou que o custo logístico consome, em média, 11,19% da receita das empresas pesquisadas, cujo faturamento equivale a 17% do PIB. Estas revelaram ter alto nível de dependência de rodovias (85,6%), máquinas e equipamentos (68,5%) e energia elétrica (66,7%) e apontaram que os maiores custos logísticos se referem ao transporte de matéria-prima e do produto acabado. Sendo assim, é importante que a indústria conheça soluções para gerenciar melhor a cadeia logística, da produção até a distribuição, colaborando para a redução de custos, maior eficiência e qualidade. Conheça a seguir uma amostra de novos produtos que podem ajudar sua empresa a otimizar os processos logísticos.

Nova pesquisa apresenta dados para o setor logístico

Como referência para as próximas análises da área logística das empresas, em abril de 2014 foi realizada pela Imam Consultoria a pesquisa Indicadores de Qualidade e Produtividade, dividida em quatro partes – produtividade, qualidade, logística e organizacional –, que considerou respostas de 1.265 empresas brasileiras.

Nova fábrica do Grupo Amazonas começa a operar no RS

Acaba de ser inaugurada em Campo Bom-RS a nova unidade do Grupo Amazonas, fornecedor de componentes para calçados, com 7.600 m2. Grande parte das operações de Novo Hamburgo-RS foram transferidas para essa nova unidade, mudança impulsionada pela necessidade de crescimento e aprimoramento logístico, uma vez que o novo endereço facilitará o acesso que permeia toda a rota do Vale dos Sinos.

MP dos Portos impulsionará R$ 50 bilhões em investimentos, prevê Abdib

O novo marco regulatório para os portos brasileiros (Medida Provisória dos Portos), aprovado pelo Congresso Nacional, resultará, a médio prazo, em investimentos privados superiores a R$ 50 bilhões. É o que afirma a Associação Brasileira da Infraestrutura e Indústrias de Base – Abdib. Segundo a entidade, esses investimentos impulsionarão aos polos produtivos em desenvolvimento no interior do país.