Programa de financiamento para a cadeia produtiva do plástico terá R$ 1,3 bi

2 minutos para ler

Renovado, o Programa de Apoio ao Desenvolvimento da Cadeia Produtiva do Plástico do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social – BNDES Proplástico terá orçamento de R$ 1,3 bilhão e prazo de vigência até 30 de junho de 2017.

Os beneficiários serão empresas da cadeia produtiva do plástico. Serão passíveis de financiamento empreendimentos com enfoque em produção e modernização, inovação, fortalecimento de empresas e atuação socioambiental. As operações, no valor mínimo de R$ 5 milhões, poderão ser feitas diretamente com o banco ou por meio de agentes financeiros intermediários.

O custo financeiro para projetos de implantação, expansão e/ou modernização de capacidade produtiva terá como base a TJLP (atualmente em 5% ao ano), mais remuneração de 0,9% do BNDES. As taxas de risco de crédito serão de 0,5% ao ano para micros, pequenas e médias empresas e de 1,5% ao ano para empresas com faturamento bruto até R$ 300 milhões. Operações com demais tipos de empresas seguirão as políticas operacionais.

“Vemos essa aprovação de forma muito positiva”, disse José Ricardo Roriz Coelho, presidente da Associação Brasileira da Indústria do Plástico – Abiplast. “O setor de transformados plásticos é um dos cinco maiores empregadores do País, com uma das melhores remunerações. Por isso, é muito importante contar com o apoio de uma instituição desse porte.”

Criado em 2010, o programa está em consonância com as medidas estabelecidas pelo governo federal por meio da Política de Desenvolvimento Produtivo, de maio de 2008, e com o Plano Brasil Maior, lançado em agosto de 2011, visando fortalecer e modernizar as empresas do setor. Atualmente o Proplástico conta com 25 projetos, entre contratados, aprovados, em análise, enquadrados e em consulta, no valor de R$ 727,4 milhões em investimentos e cerca de R$ 571,6 milhões em financiamentos.

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-