Nasce a Associação Brasileira das Indústrias de Ferramentas e Abrasivos

2 minutos para ler

Trabalhar pelo fortalecimento do setor, que tem sofrido bastante nos últimos anos com a política comercial e cambial brasileira, é o objetivo da Associação Brasileira das Indústrias de Ferramentas e Abrasivos – ABFA. “Nossa indústria está desacelerando e a razão disso é muito clara: a importação de peças e componentes para a produção de carros, eletrodomésticos, eletroeletrônicos, entre tantos outros produtos fazem com que deixem de utilizar ferramentas e abrasivos produzidos no Brasil durante o processo de fabricação”, reclama Milton Rezende, presidente da associação.

Entre as promessas da associação, está a obrigatoriedade de 100% dos produtos importados estarem de acordo com o CB-60, o Comitê Brasileiro de Ferramentas Manuais e de Usinagem, criado em 2008 pela Associação Brasileira de Normas Técnicas – ABNT. Segundo Reinaldo Monteiro, presidente do Sindicato da Indústria de Abrasivos – Sinaesp, o país permite a entrada de ferramentas e abrasivos que colocam em risco a integridade física dos operadores dessas ferramentas e acabam exigindo que a indústria brasileira diminua a qualidade de sua produção para tornar competitivo seu produto no mercado.

Milton Rezende afirma uma ferramenta produzida no Brasil custa de 25% a 30% mais que a mesma produzida nos Estados Unidos, Japão ou Europa. “Agora trabalharemos para que a criação desta associação nos traga frutos”, finaliza.

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-