Produtos & Serviços

Metodologias que apóiam o aumento da produtividade

abril 23, 2014
Tempo de leitura 3 min

Estima-se que a produtividade industrial brasileira é, em média, cinco a seis vezes menor que a norte-americana, com exceção para as empresas que competem globalmente, diretamente nos mercados ou que precisam comprovar taxas de retorno atrativas para a obtenção de investimento dos acionistas. Nesses casos, os índices de produtividade são compatíveis aos das melhores do mundo.

Quais são os fatores que justificam essa disparidade entre empresas no Brasil? Quais são os empecilhos que impedem 100% das empresas em território nacional serem tão produtivas quanto as melhores do mundo? Serão os altos impostos, o excesso de burocracia, a falta de infraestrutura, a mão de obra despreparada, a falta de automatização ou a baixa qualidade da gestão? Obviamente, cada um deles exerce um peso importante nesse processo, mas há um indicador positivo que tem ajudado a indústria a conquistar melhores índices de produtividade: o sistema de produção fundamentado na Melhoria Contínua, que visa eliminar de forma contínua e consistente as perdas e os desperdícios. Esse tipo de metodologia recebe diversos nomes, como TPM, Lean, Kaizen, 6 Sigma, entre outros.

O TPM – Total Productive Maintenance foi criado no Japão, na década de 70, com foco em aumentar a eficiência dos ativos por meio de melhorias de baixo ou nenhum custo, utilizando-se os recursos disponíveis nas próprias empresas.

O Lean e o Kaizen também têm origem japonesa, mais especificamente na Toyota, porém, o foco são ações de melhoria de forma continuada, que aumentam a produtividade dos colaboradores e reduzem expressivamente o capital empregado nos materiais em processo.

Já o modelo do 6 Sigma é mais recente e teve sua origem nos USA. O foco é analisar e eliminar os problemas que causam variabilidade dos processos e causam perdas de qualidade e produtividade.

Produção estruturada
Atenção! Não basta adotar essas metodologias para ser mais produtivo. É necessário construir um sistema de produção que seja realmente estruturado e sustentável. O primeiro passo é conhecer de perto o que essas empresas produtivas atuantes no Brasil ou no Exterior fazem e aprender com a história de todas elas, suas experiências bem-sucedidas e seus erros, para não cair nas mesmas armadilhas.

No Brasil, algumas empresas podem ser consideradas emblemáticas. Podemos citar, entre tantas, a Embraer que, em 2007, montava um avião a cada 22 dias e atualmente leva somente 7 dias, equiparando-se com as melhores do mundo em aviação. Também podemos citar a Embraco, com sede em Joinville (SC), que iniciou seu programa de melhoria contínua por volta de 2000, estendendo sua aplicação para suas plantas na China, Itália e Eslováquia.

Uma pesquisa mais apurada sugere que as empresas consideradas excelentes estão empenhadas em construir e manter uma cultura que valoriza os seus colaboradores, no foco em satisfazer os clientes e ainda em conquistar o empenho de todos na melhoria dos processos de produção. Para alcançar este grau de maturidade é preciso uma constância de propósito da alta direção da empresa e, portanto, deve estar entre os valores fundamentais da governança do negócio. As visitas de benchmark são de grande valia para quem pretende estar neste seleto grupo nos próximos anos.

Crédito: artigo escrito por Osvaldo Guedes, diretor do Kaizen Institute Consulting Group Brasil, parceiro no país da JMAC TPM Company.

Você também pode gostar

Sem comentários

Deixe um comentário


Notice: ob_end_flush(): failed to send buffer of zlib output compression (0) in /home/expertisenei/public_html/wp-includes/functions.php on line 3743