Pesquisa & Inovação, Produtos & Serviços

Lean Manufacturing: qual é seu nível de aplicação na indústria brasileira?

junho 27, 2014
Tempo de leitura 3 min

A filosofia Lean (produção enxuta) ganha cada vez mais espaço nas indústrias e nas operações logísticas da indústria brasileira. Como são diversas técnicas, com aplicações diferentes e variáveis em cada situação, nem sempre a aplicação do Lean é feita de maneira eficiente ou adequada.

A IMAM Consultoria realizou uma pesquisa para medir qual é o nível de aplicação da filosofia enxuta nas empresas e quais as técnicas aplicadas, as vantagens e dificuldades para essa implementação.

De imediato, o resultado mostrou que o método Lean Manufacturing ainda tem muito espaço para conquistar na indústria brasileira. Com base nas 230 empresas pesquisadas, de segmentos como alimentício, de saúde e higiene, construção e varejo, foi apurado que apenas 55% delas aplicam o Lean.

Segundo a pesquisa, 37,7% dos entrevistados elegeram a falta de metodologia de implementação como a principal dificuldade em adotar o Lean. Em seguida, com 36,3%, está a falta de conhecimento sobre o que é e quais os benefícios da metodologia. E, 32,9%, culparam o fato dos colaboradores não se envolverem em um projeto complexo como esse. Uma pequena parcela (13,8%) justificou a não aplicação pela falta de apoio da diretoria. Falta de mão de obra qualificada, falta de tempo devido o acumulo de funções, necessidade de mudança de cultura e pouca disseminação do tema foram outros empecilhos citados.

O resultado mostra ainda que o Lean Manufacturing é pouco conhecido entre os profissionais da indústria. Apenas 27,3% dos funcionários ouviram falar a respeito e 15,1% nunca ouviram falar sobre o tema. Entre aqueles que tem noção sobre o assunto, 50,2% conheceram na faculdade, 48,9% em empresas que trabalham e/ou trabalharam, 38,5% leram livros técnicos e 34,6% viram em artigos de revistas. Treinamentos fora da empresa serviram como fonte de conhecimento para 29,9%, feiras e seminários 23,4% e consultorias 17,3%. MBA, pós-graduação, treinamentos internos e a própria IMAM Consultoria foram outras fontes citadas pelos participantes.

Por que adotar o Lean?
Minimizar ou eliminar perdas é a promessa do método Lean Manufaturing. Segundo o levantamento, minimizar refugos e retrabalhos foi citado por 49,8% dos entrevistados como o principal motivo para buscarem o Lean Manufacturing, 43,7% citaram a não utilização da plena capacidade das pessoas e 34,6% indicaram a falta de processamentos e métodos. Esperas (29,4%), distâncias percorridas por conta do layout (28,6%), quebras de máquinas (24,7%) e a superprodução (10,0%) complementam a pesquisa. Alguns citaram ainda o tempo de setup, os fornecedores externos, estoque e falta de espaço como problemas que geram perdas e estimulam a adoção do Lean.

As ferramentas de Lean
A principal ferramenta de aplicação do Lean Manufacturing é o 5“S”, citada por 80,1% dos entrevistados. Em seguida aparece a Kanban, com 50,7%. A terceira ferramenta mais utilizada é o Kaizen, com 46,8%. Logo depois vem a troca rápida (setup) de ferramentas com 36,8%, as células de manufatura com 34,6% e o A3 com 21,7%. Lean inventory, Jidoka, Poka Yoke, Manutenção Produtiva Total – MPT, Just In Time e gerenciamento visual são outras ferramentas indicadas pelos participantes.

Implementação
É preciso que alguém, um colaborador ou uma equipe, gerencie todo o processo de implementação do Lean, garantindo que as ferramentas sejam bem executadas por todos e traga resultados concretos. A pesquisa indicou que em 36,8% dos casos, quem ficou responsável pela gestão foi a área industrial. Em segundo lugar (19,9%) foi criada uma coordenação de Lean, seguida pela área de qualidade (13,9%) e da área de projetos (10,0%). A área administrativa foi responsável em 7,8% das vezes e o RH em apenas 4,8%.

A execução das tarefas de Lean é responsabilidade da gerência em 26,4% dos casos. Supervisores (23,8%), diretoria (18,6%) e operadores (13,0%) também assumem o gerenciamento. Mas, na maioria das vezes, a responsabilidade por gerenciar o Lean é de todos, sendo citado por mais da metade dos entrevistados (50,7%).

Vale enfatizar que 81,8% dos casos aplicaram o Lean Manufacturing não só no chão de fábrica ou nos armazéns, mas em escritórios e outras áreas da empresa.

Você também pode gostar

1 comentário

  • Responder J.David Mita Montero julho 16, 2014 at 4:08 pm

    A pesquisa realizada mostra um razoável desconhecimento da filosofia Lean Manufacturing no setor industrial e a significativa dificuldade de implementação embora se conheçam superficialmente o objetivo da filosofia e as várias ferramentas base do LM segundo a análise do IMAM Consultoria. Embora a Implementação esteja inicialmente bem apontada não devemos esquecer que o LM abrange estritamente o universo da empresa como um todo , caso contrário é melhor esquecer e parar por aí, pois será tempo e custos gastos atoa.
    Um dos pontos fracos na implementação geralmente é o envolvimento direto dos altos níveis de Gerência considerando que este tipo de implementação leva tempo, a maioria das vezes altos custos e, em outras o rodizio de pessoal afetado.
    De fato a melhor maneira de iniciar a aplicação do Lean Manufacturing (ou pelo KAIZEN adoptado por outros técnicos) é partindo do programa 5S que tem como objetivo mobilizar, motivar e conscientizar toda a empresa para a Qualidade Total através de: Organizar, Arrumar, Limpar, Normatizar as anteriores ações e Disciplinar (incentivar a melhoria contínua). Todas as anteriores ações tem suas metodologias próprias, umas mais complexas que outras, assim o Just In Time relacionado aos sistemas de produção, o Kanban para indicar o andamento dos fluxos de produção (em série), ou o MRP II mais largamente usado pela facilidade do controle digital em todas as áreas produtivas, vendas, estoques, etc. nos chamados programas ERP com grandes vantagens operativas e por aí vai, com outras ferramentas como TPM para manutenção, 6 Sigma para reduzir o número de defeitos, etc, etc.
    Resumo
    Infelizmente pelos resultados obtidos pela IMAM Consultoria a indústria brasileira ainda está um tanto longe dos preceitos do Lean manufacturing (considerando 164.324 indústrias instaladas no Brasil em 2007 – Fte. IBGE); se não houver um total envolvimento entre todos os participantes da empresa no que a metas a alcançar em qualidade se refere, com o pessoal estimulado, gerentes envolvidos verdadeiramente y escolhendo as ferramentas certas é possível atingir metas significativas. Antes de entrar nesta empreitada é necessário fazer um estudo de custos do projeto para não ter surpresas posteriores. De inicio será recomendável criar um setor exclusivo para a preparação e treinamento do pessoal nas práticas a serem adotadas, setor que cuide tanto das metodologias a serem empregadas de preferência adotando o PDCA: Planning, Do, Check e Action em todos os sistemas implementados para melhorar e acompanhar os resultados das atividades e assim aproveitar para obter um certificado ISO 9001. Tendo-se êxito no projeto, ele mesmo andará sozinho, talvez com supervisão do setor de Qualidade . Parabéns IMAM Consultoria pela sua pesquisa.

  • Deixe um comentário


    Notice: ob_end_flush(): failed to send buffer of zlib output compression (0) in /home/expertisenei/public_html/wp-includes/functions.php on line 3743