Oportunidades

Foton anuncia fábrica de caminhões no Rio de Janeiro

julho 12, 2013
Tempo de leitura 3 min

Após negociar com Rio Grande do Sul e São Paulo, empresários da montadora chinesa de caminhões Foton escolheram o Rio de Janeiro como sede de sua primeira fábrica no Brasil. Para viabilizar a nova planta da Foton, o Estado do Rio de Janeiro prometeu contribuir com até 30% para o empreendimento mais a compra do terreno (com valor limitado a R$ 25 milhões). A previsão é investir R$ 250 milhões na construção da planta, que terá capacidade inicial de 34 mil unidades por ano, em dois turnos de produção. A fábrica deve começar a operar no último trimestre de 2015.

O investimento total será dividido entre os sócios brasileiros, o Estado do Rio e o controlador majoritário Foton Aumark do Brasil, que desde 2011 é o importador oficial da marca no País, com contrato de permissão para fabricar e vender os caminhões da Foton até 2025. Segundo Orlando Merluzzi, vice-presidente da Foton Aumark do Brasil, a empresa deverá também buscar recursos junto ao Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social – BNDES, que pode financiar até 80% do investimento.

Falta ainda definir a cidade. A escolha está entre Itatiaia, no alto da serra e próxima a Resende, ou Seropédica, na região metropolitana do Grande Rio. “Itatiaia tem vocação industrial, fica perto do polo já formado na região de Resende, onde existem fornecedores e mão de obra qualificada. Em Seropédica, ficamos muito bem localizados, ao lado do arco metropolitano, com acesso fácil ao porto. Devemos decidir na semana que vem”, avalia Merluzzi.

Após o acordo com o governo carioca, empresários da Foton entregaram à Secretaria de Produção do Ministério do Desenvolvimento, Indústria e Comércio Exterior – MDIC o plano da unidade industrial com o pedido de habilitação ao Inovar-Auto. Caso aprovada, a Foton Aumark poderá importar anualmente, sem o pagamento dos 30% extras de Imposto sobre Produtos Industrializados – IPI, até 25% da capacidade de produção anunciada de produtos similares aos que serão fabricados no Rio.

A Foton é atualmente a maior fabricante de caminhões do mundo. Em 2012 produziu 606,3 mil unidades. Segundo Merluzzi, com a fábrica no Brasil, em oito anos o plano da empresa é ser a sétima marca de caminhões mais vendida do País – o que equivale atender em torno de 5% de um mercado estimado de 220 mil unidades por ano.

O semileve Foton Aumark de 3,5 toneladas será produzido no Rio

O semileve Foton Aumark de 3,5 toneladas será produzido no Rio

Produtos
Na primeira fase da fábrica da Foton está prevista a produção de quatro modelos semileves, leves e médios da linha Aumark, com PBT de 3, 5, 6,5, 8,5 e 10 toneladas. Além disso, deve ser produzido um caminhão semipesado de até 24 toneladas, da linha Auman. “É onde giram 70% do mercado brasileiro. Depois de 2018 poderemos pensar em ampliar o investimento e produzir pesados, mas ainda não dá para prever exatamente o que vai acontecer nesse horizonte”, explica Merluzzi.

Inicialmente, o conteúdo nacional dos veículos será entre 15% e 20%, mas, segundo o vice-presidente, a nacionalização dos caminhões Foton montados no Rio deve crescer gradualmente e tende alcançar até 65% no decorrer dos dois primeiros anos de operação – índice mínimo para usufruir do financiamento via BNDES/Finame.

Fonte: com informações da Automotive Business

 

Você também pode gostar

1 comentário

  • Responder gilberto julho 22, 2013 at 12:41 pm

    Prezados Srs

    Se os srs puderem me orientar,pois essa noticia me deixou totalmente perplexo.

    Como é que um estado do Brasil e ainda o BNDES ,ajuda uma empresa de caminhões,que é a maior do mundo,a se instalar aqui???

    Será que essa empresa estara nos fazendo algum favor???Será que ela não tem dinheiro??

    Por que esse dinheiro não é investido em uma empresa genuinamente nacional,para que consigamos competir com o mundo ,e assim poder-mos vender produtos de alto valor agregado,assim não precisaremos ficar comprando dolares para envia-los depois ao exterior na forma de lucro dessas empresas

    Quando tinhamos a gurgel a china não sabia nem fazer charrete,hoje temos que exportar minério e comprar seus veiculos que são feitos com nosso minério

    Assim o Brasil vai afundar

    é por isso que nós não crescemos e não tiramos nosso povo da miséria

    Sera que eu estou errado.
    Por favor me orientem

  • Deixe um comentário


    Notice: ob_end_flush(): failed to send buffer of zlib output compression (0) in /home/expertisenei/public_html/wp-includes/functions.php on line 3743