Dicas técnicas

FAQ: Covid-19

Fernanda Silva
Escrito por Fernanda Silva em 15 de Maio de 2020
NEI NEWS

Junte-se a mais de 230 mil pessoas e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

Devido aos recentes acontecimentos mundiais acerca da pandemia COVID-19, e às frequentes dúvidas que muitos de nossos clientes têm sobre o coronavírus (Covid-19), preparamos essa FAQ para ajudá-los com questões pontuais sobre o que é o vírus, como se propaga, sintomas, como se proteger e ainda com quais EPIs e produtos de higiene e limpeza assegurar a proteção.

ENTENDENDO O CORONAVÍRUS

O que é o Covid-19?

Segundo a Organização Mundial da Saúde (OMS), o Covid-19 é um vírus causador de doenças respiratórias agudas, em que o paciente infectado poderá manifestar um quadro clínico que pode variar entre o assintomático ao respiratório mais grave.

Como surgiu o coronavírus?

Muitas pessoas se questionam sobre como surgiu o novo vírus, porém ainda não há comprovações científicas que demonstram como o coronavírus surgiu em humanos. 

Acredita-se que o novo vírus surgiu através de um morcego. Nesta hipótese, o vírus teria tido contato parcial com os humanos por meio das fezes e saliva do roedor e, com isso, o vírus foi se proliferando em todo o mundo. 

Alguns cientistas ainda acreditam que o pangolim, o único mamífero com escamas, pode também ter sido um hospedeiro intermediário do vírus. Entretanto, tratam-se de apenas hipóteses e nada foi confirmado.

Qual a diferença entre coronavírus e Covid-19?

Coronavírus é um vírus capaz de ocasionar infecções que podem variar desde um resfriado comum até uma síndrome respiratória mais grave. Já a Covid-19, sendo um de seus resultantes, é um vírus causador de disfunções assintomáticas como febre, cansaço, tosse seca, que podem agravar-se e espalhar-se para o pulmão. 

Quais os sintomas do coronavírus? 

Os primeiros sintomas apresentados por um indivíduo infectado pelo Covid-19 podem variar entre um leve resfriado com coriza e tosses secas, seguido de febres altas, até uma pneumonia mais severa, a qual o indivíduo pode apresentar dificuldades respiratórias. Contudo, de acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a grande maioria dos infectados (cerca de 80%) não apresenta qualquer tipo de sintoma.

Baseado nisto, é necessário o atendimento médico hospitalar apenas para uma parcela menor de pessoas, as quais podem precisar de respiradores.

Como é feito o diagnóstico do coronavírus? 

Devendo ser realizado exclusivamente por um profissional da saúde, o diagnóstico do Covid-19 é conduzido a partir da avaliação de sintomas particulares, por exemplo: 

  • Desconforto ou dificuldade respiratória;
  • Sensação de pressão contínua no tórax;  
  • Febre superior a 38ºC;
  • Dores de garganta, acompanhada de tosse seca e coriza;
  • Coloração azulada no rosto ou lábios.
  • Ou ainda, a partir de suspeitas levantadas pelo histórico de contato do paciente, seja ele domiciliar ou não, nos últimos 7 dias.

Entretanto, ao apresentar estes sintomas o médico poderá solicitar exames laboratoriais, como o de biologia molecular (para detecção de Covid-19, Influenza ou de Vírus Sincicial Respiratório – VSR), ou então o teste imunológico que detecta ou não a presença de anticorpos (realizado somente após o sétimo dia de sintomas).

Como é feito o teste do coronavírus? 

Apresentados os sintomas, o paciente deverá ser conduzido a realização de exames laboratoriais, são eles: 

  • Imunológico: o teste permite detectar a presença de anticorpos por meio da coleta de amostras, mas somente após o sétimo dia de sintomas; 
  • Biologia molecular ou RT-PCR: o teste é capaz de detectar a presença do vírus em tempo real, por meio de secreções respiratórias. 

O coronavírus tem cura?

Apesar de testes em andamento, ainda não existe um tratamento oficial contra o Covid-19. Por enquanto, os profissionais da saúde, pesquisadores da área, e os órgãos governamentais internacionais trabalham para controlar os sintomas, a proliferação do vírus, e possíveis tratamentos.

TRANSMISSÃO

Como é transmitido o coronavírus?

O vírus é transmitido de uma pessoa doente para outra saudável. Segundo o Ministério da Saúde, a transmissão do vírus pode acontecer pelo contato físico (toque e aperto de mãos), ou pelo toque em superfícies ou objetos contaminados (celulares, maçanetas, mesas, armários, computadores, brinquedos etc.), e também, pelo contato com secreções (respingos de gotículas de saliva, espirro, tosse ou catarro).

Como evitar a contaminação do novo coronavírus?

O novo coronavírus ainda não possui nenhum tipo de tratamento específico, mas para evitar a sua contaminação, alguns cuidados a serem tomados são:

  • Se puder, continue em quarentena obedecendo os critérios de proteção;
  • Se precisar sair de casa, utilize máscaras respiratórias;
  • Evite locais com aglomerações;
  • Quando enfrentar filas, mantenha o distanciamento de até 1 metro;
  • Higienize regularmente todos os itens que tiver um maior tempo de contato, como equipamentos eletrônicos, embalagens de comidas, objetos, entre outros;
  • Lave as mãos, braços e cotovelos durante 20 segundos. Após a lavagem, higienize com álcool em gel;
  • Cubra o nariz e a boca com um lenço ou com o cotovelo ao tossir ou espirrar;
  • Evite tocar o rosto, o nariz e boca com as mãos não higienizadas; 
  • Se perceber algum sintoma suspeito, permaneça em casa. Caso sinta evoluções negativas, procure o hospital mais próximo utilizando uma máscara respiratória. 

É possível ser infectado pelo coronavírus mais de uma vez?

Até o presente momento, as pesquisas são inconclusivas sobre o risco de uma pessoa ser infectada novamente pelo coronavírus. Entretanto, têm-se recomendado aos que já foram infectados para que seja mantido o isolamento, com as mesmas medidas de proteção dada a todos. 

Pessoas sem sintomas podem transmitir a doença?

Sim, pessoas que não apresentam nenhum sintoma da doença ainda podem ser transmissoras do vírus, uma vez que a doença se espalha principalmente por gotículas respiratórias, e pelo contato físico ou em superfícies como maçanetas, celulares, mesas, entre outros. 

Posso pegar coronavírus através de objetos importados?

O Ministério da Saúde alega que não é possível ser infectado por objetos importados, mas sim por objetos que são tocados com frequência por outras pessoas portadoras do vírus. Sendo assim, é recomendável higienizar todas as encomendas, superfícies, objetos de uso frequente, entre outros. 

Quanto tempo o coronavírus vive nas superfícies?

Por ser envolvido por uma camada gordurosa, o novo coronavírus, não sobrevive muito tempo fora do corpo humano

De acordo com especialistas, a estimativa de permanência do vírus é de 6 a 24 horas dependendo da temperatura e umidade do ambiente, assim como o tipo de superfície aderida.

Segundo estudos da Universidade de Princeton (EUA), o Covid-19 pode sobreviver por até 72 horas em materiais como plástico e metal inoxidável. Já em papelão, a durabilidade é de 24 horas. 

QUARENTENA

O que é quarentena?

Quarentena é a medida restritiva da circulação de pessoas em determinados locais, evitando a proliferação de um vírus vigente. Dessa forma, a medida ataca a disseminação da doença e evita mais transmissores em circulação. No Brasil, a medida aplicada ao novo coronavírus está em vigor desde março, estipulada por estado ou município individualmente. 

Quem são as pessoas em situação de risco?

Na lista de pessoas em situação de risco estão presentes, principalmente, os idosos, fumantes e usuários de tabaco, pacientes com câncer, pessoas com doenças respiratórias crônicas, visto que o vírus ataca em primeira instância os pulmões do portador.
Cabe ressaltar que o ato de fumar também envolve o toque das mãos, e por isso não é recomendado pela Organização Mundial da Saúde.
Por fim, devemos lembrar que o grupo de risco consiste em pacientes que apresentam menos chances de um resultado negativo em caso de contaminação pela doença. 

Quanto tempo após o desaparecimento dos sintomas um paciente deve ficar isolado?

Pessoas podem começar a transmitir o vírus dentro do tempo de 24 e 48 horas antes de apresentarem os sintomas da doença e continuar transmitindo por cerca de 4 semanas, após o diagnóstico. Sendo assim, após o desaparecimento dos sintomas é recomendado que o paciente realize novos testes, com intervalos de 24 horas entre eles, e caso apresentem resultados positivos, preserve o isolamento até novos testes. 

O que é pandemia e epidemia?

Epidemia é um termo utilizado para caracterizar o desenvolvimento abrupto, ou seja, além do esperado, de uma doença, na qual uma pequena ou média região é atingida. Já a pandemia, trata-se de um avanço global de uma epidemia onde três ou mais continentes são afetados por um mesmo vírus.

PROTEÇÃO

Como me proteger do coronavírus no trabalho?

É recomendável o mínimo de contato com outras pessoas – se possível nenhum contato -, seja através de abraços, toque do aperto de mãos, beijos no rosto etc.
Pensando nisso, a Organização Mundial da Saúde publicou um documento com as principais medidas de proteção dentro do ambiente corporativo. Entre elas estão:  

  • Utilizar máscaras; 
  • Averiguar se as superfícies de maior contato estão limpas, desinfectados ou higienizadas, sejam mesas, telefones, armários, entre outros;
  • Lavar regularmente as mãos;
  • Fazer o uso periódico de álcool em gel;
  • Promover boas práticas de higiene no local, sempre cobrindo o nariz ou a boca com o braço, lenço ou papel higiênico quando for espirrar ou tossir;
  • Verificar regularmente se os frequentantes do local já tiveram sintomas como febre, tosses ou coriza nos últimos dias, orientando-os, assim, a permanecer em casa. 

Quais são as máscaras ideais para serem usadas nas empresas?

Os modelos de máscaras a seguir possuem características próprias que impedem a proliferação e a contaminação do novo coronavírus. Lembrando que outras máscaras, como as descartáveis, também auxiliam no combate ao coronavírus, porém não são recomendadas para os profissionais da saúde, que estão na linha de frente. 

  • PFF2/N95 sem válvula: este modelo caracterizado por seu dispositivo filtrante, é indicado para proteção contra microrganismos infecciosos, através de gotículas propagadas pelo contato próximo de dois indivíduos;   
  • PFF3 sem válvula: este modelo também possui um dispositivo filtrante, e é capaz de proteger e limitar a propagação de gotículas de microrganismos infecciosos por meio do contato próximo de dois ou mais indivíduos; 
  • PFF2/N95 com válvula: equipamento de proteção filtrante, indicado para microrganismos infecciosos. Protege e limita a propagação de gotículas e contágio, de fora para dentro;
  • PFF3 com válvula: equipamento de proteção filtrante, indicado para microrganismos infecciosos. Protege e limita a propagação de gotículas e contágio, de fora para dentro; 
  • Máscara cirúrgica: considerada como uma barreira de proteção, este modelo limita a propagação de gotículas e contágio. 

Qual o jeito certo de tossir e de espirrar para evitar o contágio do coronavírus?

É recomendado que ao tossir, o indivíduo utilize de lenços de papel para cobrir o nariz ou a boca. Na falta do papel descartável, elevar o antebraço próximo a boca quando espirrar. 

Qual tipo de álcool usar para evitar o coronavírus?

De acordo com o Conselho Federal de Química, o indicado é que o álcool seja 70% (ou 70°), isto é, que ele seja composto por 70% de álcool etílico (etanol) em quantidade necessária para combater micro-organismos como bactérias, vírus e fungos. 

Quais produtos de limpeza matam o coronavírus?

Para a higienização pessoal, é recomendado que se faça a utilização de álcool em gel antisséptico 70%, sabão e água rotineiramente. Além desses, o álcool líquido comum e outros produtos de limpeza como cloro para a limpeza de ambientes são eficazes.

Para a higienização efetiva de superfícies, são recomendados:

  • Água sanitária;
  • Desinfetantes (em geral);
  • Limpadores multiuso com cloro;
  • Limpadores multiuso com álcool;
  • Álcool líquido de limpeza (concentração em 60% e 80%);
  • Detergente;
  • Sabão. 

O álcool em gel é eficaz contra o coronavírus?

O álcool em gel antisséptico é eficaz na higienização das mãos contra o novo coronavírus, conforme as recomendações das autoridades nacionais e internacionais, como a Organização Mundial da Saúde (OMS) e o Ministério da Saúde do Brasil. Entretanto, é indispensável lavar as mãos rotineiramente com água e sabão por cerca de 20 segundos. 

Qual a diferença entre álcool em gel saneante e álcool em gel antisséptico?

O álcool em gel saneante, conhecido também por álcool em gel desinfetante, é destinado para realizar a limpeza de superfícies inanimadas como pisos e paredes. Já o álcool em gel antisséptico ou cosmético atua na higienização de mãos, pois possui uma fórmula específica para aplicação na pele, sem causar danos.

Quais os produtos de limpeza eficazes em estabelecimentos comerciais contra o coronavírus?

Devido a pandemia do novo coronavírus, algumas cidades do Brasil foram instruídas a disponibilizar o álcool em gel antisséptico para seus habitantes. No entanto, sua forma líquida traz resultados também eficazes para a limpeza de superfícies, além do uso de produtos com cloro, álcool e desinfetante e, claro, o uso indispensável dos detergentes e da água.

Gostou?

Conte para a gente nos comentários!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *