Oportunidades, Produtos & Serviços

Fabricante de sistemas de direção assistida inaugura primeiro centro tecnológico no País

abril 9, 2013
Tempo de leitura 2 min

A Jtekt, empresa japonesa especializada na fabricação de sistemas de direção hidráulica e elétrica, após investir R$ 15 milhões, inaugura hoje (9), em São José dos Pinhais, região metropolitana de Curitiba (PR), seu primeiro centro tecnológico brasileiro. Oitavo no mundo, o novo centro será responsável por validar 100% dos sistemas produzidos anualmente na planta industrial (que fica na mesma área). Hoje, a Jtekt do Brasil fornece 1 milhão de conjuntos por ano em três linhas, atendendo clientes como Toyota, Volkswagen, Peugeot, Fiat, Renault, Nissan e General Motors.

Segundo a empresa, o Inovar-Auto, programa que busca incentivar a fabricação de veículos mais econômicos e seguros no Brasil, foi crucial na decisão de construir um centro tecnológico em território brasileiro. “Inicialmente, o trabalho do centro estará dividido em duas frentes: desenvolver novos projetos de direção elétrica e elaborar equipamentos para os laboratórios da própria Jtekt”, diz Lucio Pinto, diretor comercial e de engenharia da Jtekt do Brasil.

Os desafios
Segundo Lucio Pinto, 75% dos carros vendidos atualmente no Brasil têm direção assistida (hidráulica ou elétrica). Desses, apenas 12% tem direção elétrica. “Com a globalização das linhas de veículos, as montadoras trarão novos sistemas de direção elétrica para os automóveis fabricados aqui. É o caso da Volkswagen, que já nos procurou”, comenta.

Para o diretor comercial, o grande obstáculo será a concorrência com os sistemas importados. “Mais de 90% deles são importados por serem mais baratos”, lamenta. Para enfrentar esse desafio, o Inovar-Auto terá importância redobrada para a empresa japonesa, pois um dos quesitos do programa é obrigar as montadoras a comprar mais de fornecedores brasileiros.

Outro desafio é a falta de qualidade da tecnologia nacional. O próprio equipamento fabricado no Brasil pela Jtekt não é 100% nacional. Segundo Lucio Pinto, a falta de fornecedor local obriga a empresa a importar o Electronic Control Unit – ECU (central eletrônica de controle) e o motor elétrico. “Esperamos localizar o máximo das nossas compras o mais rápido possível”, finaliza.

Fonte: com informações da Automotive Business.

Você também pode gostar

Sem comentários

Deixe um comentário


Notice: ob_end_flush(): failed to send buffer of zlib output compression (0) in /home/expertisenei/public_html/wp-includes/functions.php on line 3743