Edra do Brasil investe em nova fábrica

3 minutos para ler

A Edra do Brasil, fornecedora de produtos em fibra de vidro tais como tubos, conexões, reservatórios, estações de tratamento e acessórios industriais está investindo na construção de mais uma fábrica, que ocupará uma área de 4500 m2.

Atualmente a Edra conta com um parque fabril de 25 mil m2 e segundo a empresa, a nova planta terá capacidade produtiva de 200 km de tubos de grande diâmetro (de até 2600mm) por ano destinado especialmente ao setor de saneamento Básico, trará um aumento de 25% a 30% da capacidade produtiva total da empresa. “Para isso utilizaremos uma tecnologia italiana na fabricação de tubos em PRFV (plástico reforçado com fibra de vidro), que permitirá um melhor desempenho no consumo de matérias-primas e redução do custo fixo desses materiais”, afirma Igor Bolorino, engenheiro de aplicação da Edra.

Essa tecnologia refere-se a uma máquina composta de um shaft central horizontal, sobre o qual são fixados discos que delimitam o diâmetro do tubo a ser produzido. No perímetro destes discos são montadas travessas formando uma armadura. Para obter a superfície interna lisa do tubo, é enrolada uma fita metálica que realiza o movimento de translado do tubo por meio de dispositivos acoplados ao sistema, proporcionando a produção contínua. Após isso, o mandril gira e a fita se desloca longitudinalmente e,  todas as matérias-primas são depositadas em quantidade pré definidas sobre o produto. Sensores eletrônicos fornecem feedback dos parâmetros de produção continuamente para que os vários sistemas de alimentação apliquem a quantidade correta de material. “Isso garante que a quantidade de material necessário para construir as diferentes camadas é aplicada durante toda a fase de fabricação”, comenta Ígor.

De acordo com Arnaldo Gatto, gerente de desenvolvimento da empresa, os investimentos para construção e nos equipamentos giram em torno R$ 15 milhões, investimento compensado pela eficiência de produção. “O principal diferencial desta nova fábrica é seu elevado grau de automação, que reduzirá o consumo energético, tornando o processo produtivo muito mais vantajoso econômica e ambientalmente correto”, conta.

Além disso, a fábrica foi planejada para atender as exigências de futuras certificações ambientais. “Todos os resíduos da produção desta nova fábrica serão captados, tratados ou descartados de forma correta em nosso aterro industrial”, finaliza Gatto. As obras estão previstas para serem concluídas em março de 2012.

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-