Como os motores elétricos podem salvar energia e reais

2 minutos para ler

Os motores elétricos representam quase 70% de toda a energia elétrica consumida dentro de uma planta industrial. Em números redondos, 68% dessa energia é usada como força matriz, 23% nos processos eletrotérmicos, 7% na iluminação e 3% para eletrólise. Quem mediu e garante esses números tem autoridade e credibilidade – a Eletrobras.

A perspectiva desenhada pelos especialistas, dentro e fora do governo, é de um crescimento maior e mais acelerado do consumo de energia elétrica nos seus três grandes mercados: comercial, industrial e residencial. Em todos eles cresce a automação e o emprego de máquinas e equipamentos dependentes da energia elétrica.

Conforme o planejamento do Ministério de Minas e Energia, o Brasil precisará até 2020 de 69.200 Megawatts para atender a demanda, sendo que 35.000 MW serão produzidos pela hidreletricidade, 12.300 MW por biomassa e 10.600 MW pela eólica. As demais fontes serão: petróleo (4.100 MW), gás natural (2.200 MW), carvão (1.800 MW), gás industrial (1.800 MW) e nuclear (1.400 MW).

O secretário de planejamento e desenvolvimento energético do MME, Altino Ventura Filho, afirma que a matriz energética continuará enfatizando as fontes renováveis. Dos 70 mil MW que o País precisa gerar até 2020, 81% serão baseados principalmente em hidrelétrica, mas também em eólica e biomassa, fontes das quais o país tem disponibilidade e tecnologia.

Clique aqui para acessar em NEI.com.br a seção especial sobre motores elétricos. Saiba sobre as alternativas de otimização, os vilões da planta industrial, soluções e tendências, dicas para melhorar a eficiência, gestão energética, casos de sucesso e muito mais.

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-