Brasil Offshore: principal feira de petróleo e gás começa daqui a pouco

Em poucas horas, começa em Macaé, RJ, a 6ª edição da Brasil Offshore, principal feira do setor de petróleo e gás offshore do Brasil, que este ano comemora dez anos. A cerimônia de abertura contará com a presença do Presidente do Instituto Brasileiro de Petróleo, Gás e Biocombustíveis – IBP, João Carlos de Luca; do Presidente da Society of Petroleum Engineers – SPE, Alain Labastie; do Diretor Geral da Organização Nacional da Indústria do Petróleo – ONIP, Eloi Fernández y Fernández; e do Presidente da Federação das Indústrias do Rio de Janeiro, Eduardo Eugenio Gouvêa Vieira. Participam ainda da abertura o Prefeito de Macaé, Riverton Mussi, outras autoridades e representantes da Petrobras e Caixa Econômica Federal.

Com crescimento econômico acima da média mundial, Macaé investe em educação para obter mão de obra qualificada

Os negócios da Bacia de Campos – 64 plataformas de perfuração que garantem mais de 80% da produção de petróleo e 47% da produção de gás natural do País – convergem para Macaé, Rio de Janeiro. Nos últimos dez anos, a economia do município cresceu espantosos 600% e sua população triplicou – são 206.748 habitantes, segundo o censo de 2010. De acordo com o Índice FIRJAN de Desenvolvimento Municipal – IFDM, Macaé é a campeã na geração de emprego e renda no Estado do Rio. A demanda por conta do Pré-sal acelera ainda mais esse crescimento e a busca de mão de obra qualificada se torna uma das prioridades do município.

Boas notícias para a indústria

Para manter a retomada das atividades industriais, o Governo prorrogou até 31 de março de 2011 o BNDES PSI – Programa de Sustentação do Investimento e ainda ampliou em R$ 10 bilhões a linha de financiamento para bens de capital, produção de bens exportáveis e inovação tecnológica.

Máquinas e equipamentos para o desenvolvimento do Pré-sal

A Rio Oil & Gas – Expo and Conference, que acontecerá de 13 a 16 de setembro de 2010, no Riocentro, Rio de Janeiro, é a primeira feira do setor realizada na era do Pré-Sal e deverá refletir os preparativos dos fornecedores para atender a demanda desencadeada pela descoberta de novas jazidas de petróleo.

Dutos: a expansão necessária

Com a inauguração recente do Gasoduto Rio de Janeiro-Belo Horizonte, o Gasbel II, o Brasil atingiu 22 mil quilômetros de dutos em operação, entre gasodutos, minerodutos e dutos submarinos. Ainda é pouco para um país continental e com produção de peso nos setores do petróleo e da mineração, principais demandadores desse tipo de transporte.