Investimento em inovação garante o futuro das empresas

De uma maneira geral, as organizações brasileiras não possuem ou são modestas no reconhecimento das atividades de P&D. Os projetos, as pessoas e os orçamentos financeiros para as atividades de pesquisa, desenvolvimento e assistência técnica são vistas e tratadas como ações fora da realidade, desnecessárias para o momento atual, como algo que vem para modificar aquilo que sempre funcionou e como custos e despesas.

Poli/USP inaugura Laboratório de Controle de Processos Industriais

A Escola Politécnica da Universidade de São Paulo (Poli/USP) inaugurou ontém (9/12), em São Paulo, o Laboratório de Controle de Processos Industriais. Vinculado ao Departamento de Engenharia de Telecomunicações e Controle, é formado basicamente por duas plantas pilotos que deverão ser usadas para fins de pesquisa aplicada, sobretudo entre os alunos de doutorado, mestrado e iniciação científica da Poli.

Sustentabilidade e Inovação: produtos, serviços e embalagens III

Outro caso de bioinovação na indústria têxtil aconteceu na Novozymes Latin America.

A multinacional nórdica que apresentou, em Milão, uma nova técnica capaz de evitar a emissão de mil quilos de CO2 na atmosfera por tonelada de malha confeccionada detalhou sobre o uso de bioinovação na indústria têxtil, em Blumenau, Santa Catarina em agosto deste ano.

Sustentabilidade e Inovação: produtos, serviços e embalagens II

A combinação de retalhos de jeans desfibrados com o poliéster provindos de garrafas PET resultou no lançamento da marca Denovo®. Trata-se do Jeans 100% reciclado, uma sarja que atende às exigências dos estilistas, assim como dos consumidores preocupados em adquirir produtos ecologicamente corretos. O produto é um grande aliado às criações da nova era, pois o artigo não sofre tingimento em seu processo produtivo, economizando água e energia elétrica.

Sustentabilidade e Inovação: produtos, serviços e embalagens I

À medida que o conhecimento em torno da demanda por práticas industriais mais sustentável se desenvolve, as propostas inovadoras recebem, cada vez mais, atenção da sociedade. O marketing social e/ou marketing verde – fazem o papel de divulgadores dessas práticas, alavancando uma imagem positiva da marca, frente a demanda global pela sustentabilidade do planeta. As indústrias, atentas a esta combinação de inovação, sustentabilidade e marketing, já estão lançando no mercado produtos, serviços e embalagens aderente a esta visão.

Nova tecnologia para um antigo conceito

A portaria 1.510 do Ministério do Trabalho e Emprego (MTE), que estabelece a impressão de todo o movimento de entrada e saída dos trabalhadores em suas empresas, gerando documentação passível de arquivos não-digitais, terá significativo impacto. Sessenta por cento dos relógios de ponto informatizados existentes no Brasil, estimados entre 600 mil e 800 mil unidades, deverão ser trocados por equipamentos também eletrônicos, adequados às novas exigências. Considerando o custo médio de R$ 2,5 mil por aparelho, o processo de substituição movimentará cerca de R$ 1,7 bilhão. O curioso, por outro lado, é que 40% das empresas retornarão ao antigo sistema mecânico.

Inovação é melhor caminho para ganhar competitividade?

A inovação é a única maneira e, provavelmente, a mais sustentável, para ganhar competitividade. A afirmação é do diretor de pesquisa do Science and Technology Policy Research e professor de gestão em tecnologia e inovação da universidade britânica de Sussex, Joe Tidd. Segundo Tidd, as organizações que possuem um sucesso consistente em administrar a inovação superam os seus parâmetros em termos de crescimento e desempenho financeiro.