Brasil pode ter seu maior centro hiperbárico em 2016

3 minutos para ler

A Coppe – Instituto Alberto Luiz Coimbra de Pós-Graduação e Pesquisa de Engenharia, localizada na Universidade Federal do Rio de Janeiro, e a Petrobras projetam o maior centro hiperbárico do Brasil voltado para testes em escala real de equipamentos e estruturas de grande porte usadas na exploração e produção de petróleo e gás em águas profundas e ultraprofundas. O centro poderá operar a partir de 2016, caso os recursos para sua implantação sejam obtidos em 2014.

Com aproximadamente 850 m2 de área construída, o centro contará com duas câmaras hiperbáricas capazes de simular ambientes marinhos até 13 mil m de profundidade. Nessas câmaras, serão testados e qualificados os equipamentos a ser utilizados na exploração do pré-sal brasileiro.

Segundo Ilson Paranhos Pasqualino, professor do Programa de Engenharia Oceânica da Coppe e coordenador do projeto, a instalação possibilitará o desenvolvimento de novos sistemas capazes de suportar as condições adversas do ambiente marinho em águas com lâminas d’água superiores a 2 mil m de profundidade.

“O Brasil passará a ser um dos poucos países no mundo a dispor de um centro hiperbárico desse porte voltado para o setor de óleo e gás. Testar os próprios equipamentos que serão instalados no mar torna os resultados ainda mais confiáveis do que os realizados em escala reduzida”, destacou o professor.

Na nova instalação, serão testados equipamentos como válvulas submarinas de grande porte, ferramentas de instalação de equipamentos e módulos de controle submarinos. Além disso, poderão ser desenvolvidas novas técnicas de manutenção e inspeção submarina, conexões especiais e outros equipamentos da área de processamento submarino.

Uma câmara, com 2,65 m de diâmetro interno e 8 m de comprimento útil interno, será capaz de gerar pressões até 6 mil psi, pressão similar à que ocorre em profundidades de 4 mil m, o que equivale ao peso de 20 t sobre a cabeça de um ser humano. A outra, com 70 cm de diâmetro e 7 m de comprimento, atenderá, principalmente, as empresas que atuarão nos campos do pré-sal. Capaz de produzir pressões até 20 mil psi (aproximadamente 13,3 mil m de profundidade), poderá testar e qualificar todos os equipamentos de poços de até 7 mil m de profundidade.

As câmaras hiperbáricas instaladas no centro serão projetadas no Laboratório de Tecnologia Submarina da Coppe, ao qual o centro estará vinculado. Também serão instaladas no local outras duas câmaras hiperbáricas que hoje já realizam testes nesse laboratório.

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-