Sem categoria

Bota Térmica: escolhendo o modelo mais adequado para a sua empresa

Amanda Cristina
Escrito por Amanda Cristina em 11 de setembro de 2020
NEI NEWS

Junte-se a mais de 230 mil pessoas e receba conteúdos exclusivos e com prioridade

A importância de se usar botas térmicas
A importância do uso de botas térmicas

Determinados locais de trabalho e funções, exigem do colaborador esforço físico constante, seja em atividades ou mesmo estar regularmente em pé. Estas demandas geralmente podem causar dor nos pés, inchaço das pernas, varizes, fadiga muscular geral, lombalgia, rigidez no pescoço e ombros, e outros problemas de saúde.

Quaisquer destes problemas são recorrentes entre trabalhadores da construção civil, mineradoras, funcionários de frigoríficos, citando algumas das diversas ocupações em que a atividade dos trabalhadores exige prolongado tempo em pé.

Para selecionar o calçado de segurança que melhor se adequa às necessidades da atividade de cada, é necessário levar em consideração vários fatores, além da resistência a temperatura, como conforto, durabilidade e outros recursos de segurança necessários, por exemplo, proteção dos dedos dos pés. 

Dentro deste universo que é a categoria de EPIs (equipamento de proteção individual) , as botas térmicas são as ferramentas de segurança que protegem o usuário contra inúmeros problemas causado pelo frio ou calor em excesso nos pés. Para saber tudo sobre como escolher este equipamento da forma mais adequada, ou mesmo quando as botas térmicas são necessárias, continue a leitura.

Por que adquirir uma bota térmica?

Como dito anteriormente, há uma série de atividades que há um desgaste físico maior do funcionário, mas mais do que o cansaço que a atividade pode provocar, há algumas que necessitam de equipamentos de proteção para que sejam executadas sem riscos e com eficiência. Os funcionários de um frigorífico ou bombeiros, por exemplo, estão propensos aos mais diversos acidentes causados por equipamentos cortantes ou pesados em seu trabalho. Além disso, quem exerce alguma atividade muito longa em uma câmara fria está sujeito a sofrer lesões na pele decorrentes do frio extremo.

Os usuários que trabalham em ambientes muito quentes, também podem sofrer com mais as diversas queimaduras, que dependendo do nível, pode ocasionar a amputação de um de um dos pés, ou até, de uma perna inteira. 

Para todas as situações aqui citadas, mostra-se a importância do uso desse equipamento de proteção individual visto que, além de proteger contra lesões, esse calçado de proteção garante o conforto climático dos pés (a temperatura deve estar entre 28º e 32º), uma faixa considerada ideal para evitar desconforto e até dor.

Do que é feita uma bota térmica?

A bota térmica é especialmente desenvolvida para lidar com temperaturas extremas
A bota térmica é especialmente desenvolvida para lidar com temperaturas extremas.

  • Biqueira: posicionada no bico do calçado, protege o usuário contra impactos com objetos pesados, além de proporcionar resistência térmica e mecânica ao trabalhador que a estiver usando.
  • Cabedal: É a parte de fora da bota, incluindo a lingueta (ou língua). Esta parte do calçado tem a atribuição de preservar a integridade física dos pés do usuário, geralmente é o componente que os fabricantes mais se esforçam ao produzir para além de proteger bem o usuário,  atrair a atenção de um potencial comprador.
  • Forro: É o revestimento da parte interna do calçado, o componente que fica em contato com o pé do usuário, e que nos calçados de segurança térmicos é a parte que proporciona proteção térmica a quem estiver usando.
  • Talão: É parte da estrutura do calçado, feita de material duro e resistente, responsável pela sustentação do calcanhar e posicionamento do tornozelo dentro do calçado. Diversos EPIs contém reforço especial no médio-pé para firmar seu pé e evitar torções, dificultando assim, uma possível lesão do usuário no exercício da função.
  • Solado: É o componente do calçado que entra em atrito com o solo, e ela deve se adequada ao tipo de solo em que estiver trabalhando, além de ser adaptável a cada parte da sola do pé, possibilitando assim uma melhor estabilidade ao usuário.
  • Palmilha de montagem: une o cabedal e o solado, localiza-se na área inferior e tem função estrutural. Esse componente do calçado de segurança abriga espumas e amortecedores responsáveis por absorver impactos e controlar os movimento.
  • Palmilha interna: Camada responsável pela postura correta do seu pé dentro do tênis, além de proporcionar um maior conforto ao usuário. Em alguns modelos, a palmilha pode ser removida para facilitar a limpeza.

O que caracteriza uma bota térmica?

  • Biqueira de PVC: São as biqueiras que protegem os dedos contra possíveis esmagamentos ou compressões, além de apresentar inúmeras vantagens, como aliviar o cansaço nos pés. As botas com biqueira PVC não apresentam problemas de oxidação ou alergia, são mais confortáveis e aumentam a satisfação e conforto nos pés, uma vez que é mais leve a biqueira de metal, por exemplo. Esse tipo de biqueira possui mais resistência ao frio e pode proteger ainda, em algum possível acidente de trabalho causado por energia elétrica.
  • Solas antiderrapantes: Nesse tipo de EPI utiliza-se um solado de poliuretano, que é o material mais adequado para superfícies onde existe risco de escorregamento. Entretanto, o relevo da sola é essencial, visto que sem estes o calçado de segurança pode deslizar com mais facilidade causando possíveis acidentes.
  • Resistência à corrosão: uma bota térmica se bem conservada pode se manter ideal para o uso por bastante tempo, porque suporta a ação de alguns agentes corrosivos durante o período em que o usuário esteja exercendo a sua atividade diária sem que nenhum dano cause grande prejuízo. Entre os agentes corrosivos suportados estão alguns tipos de ácido.
  • Confortabilidade: grande parte dos calçados de segurança térmicos possuem forro interno na gáspea, com cano em tecido de malha e acabamento macio, proporcionando além de proteção todo o conforto necessário para os profissionais que necessitam desse tipo de equipamento de proteção individual.
  • Cano: botas de segurança podem ser encontradas com cano curto, médio ou longo. No entanto, o mais comum é a utilização desse EPI com cano médio, visto que além de proporcionar proteção térmica ao pé do usuário, esse calçado de segurança também pode preservar parte da canela de quem estiver usando.

Para quem é indicado o uso de bota térmica?

É muito comum que em uma mesma empresa os funcionários utilizem calçados de segurança diferentes. Afinal, eles serão escolhidos de acordo com o risco em que estão expostos. Por isso, é muito importante entender e providenciar a bota térmica para os profissionais indicados para este uso, e uma vez correta para a atividade a qual o colaborador da sua empresa vai estar exercer, o risco de acidentes é muito menor.

  1. Profissionais que trabalham em frigoríficos: o uso de um calçado de segurança térmico em câmaras frias, que de acordo com a NR-36 deve ser usado em conjunto com um traje de proteção adequado, é obrigatório uma vez que o não uso além de ir contra as normas reguladoras do trabalho, evita um potencial acidente de trabalho causado por frio extremo.
  2. Corpo de bombeiros: esses profissionais estão em sempre em contato com altas temperaturas, sendo que, em sua grande maioria, as suas atividades consistem no combate de incêndio. Mas além disso, esses usuários também podem sofrer lesões com possíveis impactos ou perfurações a partir de um objeto pontiagudo.

Além destes profissionais em específico, é preciso entender os espaços e as atividades executadas em sua empresa para então avaliar a necessidade do uso desta bota de segurança.

Atividades de trabalho como a de bombeiros necessitam do uso de botas térmicas
Atividades de trabalho como a de bombeiros necessitam do uso de botas térmicas

Quais são as normas que regulamentam o uso de botas térmicas?

Por conta desses riscos, a norma regulamentadora para segurança e saúde no trabalho em empresas de abate e processamento de carnes e derivados NR-36 foi criada para estabelecer as condições de segurança de trabalho ideais para os profissionais que exercem qualquer atividade em em câmaras frigoríficas e outros ambientes com condições extremas.

A não utilização desse equipamento de proteção individual pode ocasionar uma demissão por justa causa ao colaborador em questão ainda que, em tese, o único prejudicado – fisicamente – seja o próprio trabalhador. Recusar o uso do EPI significa de acordo com o art. 158, par. Único da CLT negligência ao trabalho.

Como higienizar uma bota térmica?

Para manter o seu calçado de segurança em perfeitas condições, é muito importante saber que a limpeza deles é necessária e deve ser feita com muito cuidado e de forma delicada. O mais apropriado é higienizar após cada uso, a fim de preservar sua integridade e durabilidade, evitando assim a compra de um novo calçado de segurança em um curto prazo.

Para realizar a limpeza corretamente, é essencial levar em consideração as duas seguintes premissas que são muito importantes:

  1. As botas de proteção não devem ser limpas em máquina de lavar roupa. Isso deve ser feito exclusivamente à mão, preferencialmente com um pano úmido com sabão neutro.
  2. Após a limpeza dos sapatos, a secagem deve ser feita ao ar livre.

Com o devido cuidado, esse tipo de equipamento de proteção individual pode ser utilizado pelo usuário no exercício de suas atividades no ambiente de trabalho por muito tempo. Caso apareça qualquer avaria com o calçado de proteção, como furos, desgaste, defeito, é essencial que o trabalhador informe o seu empregador para que as medidas necessárias sejam tomadas e um novo calçado de proteção seja providenciado o mais rápido possível.

Na NEI você consegue encontrar diversos modelos de bota térmica para atender a necessidade da sua empresa, não deixe de conferir!

Gostou?

Conte para a gente nos comentários!

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *