Alguns números que apoiam os votos de um próspero 2010

2 minutos para ler

Exatos 1.440 profissionais da indústria, usuários do sistema NEI, concordaram, entre junho e agosto de 2009, em participar de um estudo sobre as intenções de compra da indústria nos 12 meses seguintes.

Os resultados têm um interesse especial porque o País e o mercado industrial, em particular, sentiam os efeitos da crise internacional, e os sinais ainda muito tímidos da reação econômica não estimulavam projetos de grande envergadura.

Os resultados do estudo, porém, foram surpreendentemente positivos. Em junho de 2009, 89% das empresas dos respondentes iriam manter ou mesmo aumentar seus investimentos no período, ou seja, entre julho de 2009 e junho deste ano.

Em meados de 2009 já estavam claros os componentes da fórmula anticrise elaborada pelo governo – ampliação do crédito, redução de juros, renúncias fiscais. Os números do estudo sugerem fortemente que os resultados iniciais da aplicação da fórmula bastaram para recriar na comunidade industrial a confiança necessária em um crescimento mais robusto da economia neste ano que começamos.

As previsões mais acreditadas falam em um crescimento do PIB entre 4 e 5%,

cifra bastante factível se depender do desempenho que se pode projetar para a indústria a partir do estudo de Intenção de Compras 2009/2010.

Afinal, os investimentos das empresas representadas pelos 1.440 profissionais que contribuíram para esse estudo somaram cerca de US$ 284,5 milhões, distribuídos entre julho de 2009 e julho deste ano. E eles representam apenas 1,7% dos usuários do sistema NEI.

O estudo nos permite, com mais do que razoável segurança, desejar um próspero 2010 para todos os que participam da comunidade industrial.

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-