68,2% dos ganhos da indústria brasileira estão em grandes empresas

1 minuto para ler

De acordo com a Pesquisa Industrial Anual divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística – IBGE, o total das receitas líquidas das empresas industriais do Brasil atingiu R$ 2,2 trilhões em 2011, impulsionado pelo desempenho das empresas com 500 ou mais empregados. Essas empresas representam 68,2% do total, ou seja, geraram receita liquida de aproximadamente R$ 1,5 trilhão. Em 2010, esse percentual foi de 67,4%.

Em 2011, os custos e despesas da indústria nacional somaram R$ 2,2 trilhões. Desse total, os gastos das empresas com 500 ou mais pessoas ocupadas representaram 69,6% ou R$ 1,5 trilhão.

Ainda segundo a pesquisa, destrinchando o total dos custos e despesas da indústria brasileira, os gastos com pessoal representaram 14,5% e o custo das mercadorias revendidas atingiu 6,7%. Assim como em 2010, o consumo de matéria-prima representou o maior percentual na estrutura dos custos e despesas, apontando 42,5% do total. Custos diretos de produção (combustíveis, energia elétrica, serviços terceirizados e manutenção de máquinas) somaram 7,2%; depreciação, amortização e exaustão de ativos imobilizados ficaram com 3,2%; gastos com pagamento de royalties e assistência técnica representaram 1,6%; e despesas com propaganda somaram 1,1%. Outros custos e despesas (23,2%) completaram os gastos.

Você também pode gostar

Deixe uma resposta

-